Suspeita de desviar valores de clientes de escritório de advocacia é presa durante Operação Fidalga

Na manhã desta quinta-feira (21), a Polícia Civil, por meio da Força-Tarefa de Combate a Roubos em Coletivos do Departamento de Polícia Metropolitana, deflagrou a Operação Fidalga, para reprimir crimes de estelionato, falsidade ideológica, falsidade documental, uso de documento falso e lavagem de dinheiro, envolvendo associação criminosa composta de pessoas da Capital e Região Metropolitana.

Duas pessoas foram presas durante a operação. Aproximadamente 100 policiais civis cumpriram 11 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão temporária em Porto Alegre, Alvorada, Cachoeirinha e Viamão.

Segundo o delegado Daniel Mendelski Ribeiro, a empreitada criminosa caracterizava-se pelo desvio de valores a serem pagos a clientes de um renomado escritório de advocacia, por uma empregada dessa banca advocatícia. Essa empregada do escritório de advocacia foi presa em Cachoeirinha, na sua residência. “Essa pessoa desviava os valores devidos aos clientes para integrantes de seu círculo familiar e de amigos, gerando um prejuízo de mais de dez milhões de reais, entre valores repassados ilicitamente e que acabaram por ser pagos posteriormente aos seus legítimos credores. Mais de trinta pessoas são suspeitas de envolvimento”, disse o delegado.

Na casa da mulher foram apreendidos aproximadamente 35 mil reais em dinheiro, além de notebook, celulares, passaportes e diversos documentos, que serão analisados pelos policiais civis. Uma arma e drogas foram encontradas em outro local. Uma segunda pessoa foi presa por porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas.

Jorge Felipe

?

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: