Reunião discute Centro de Segurança Pública Integrado em Imbé

O prefeito Pierre Emerim recebeu a cúpula do Comando dos Bombeiros do Litoral Norte para o primeiro encontro sobre a construção de um Centro de Segurança Pública Integrado da Zona Norte de Imbé. Pierre recebeu o comandante do 9º Batalhão de Bombeiros Militar (BMB), em Tramandaí, major Claudio Morais, e o comandante do 1º Pelotão do Corpo de Bombeiros de Tramandaí, tenente Lucrécio. Foi apresentada uma área pública localizada junto a Rótula do Balneário Presidente, entre a ERS 786 e a Avenida Paraguassú, para erguer o prédio. Com o aval do vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior, o município irá custear o projeto e construção do centro que serviria de Base Operacional do Corpo de Bombeiros, com bombeiros comunitários e servidores da Brigada Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal, Polícia Rodoviária Estadual e SAMU.

“Não queremos depender de outros municípios para o atendimento das mais diversas ocorrências. Queremos dar agilidade no atendimento, velocidade e diminuir a distância do local da ocorrência para darmos tranquilidade a moradores e veranistas. Sabemos das dificuldades do Estado, por isso estamos propondo custear 100% o projeto. Imbé, que já teve 86 brigadianos, quer passar sensação de segurança à população. Em breve vamos receber a Guarda Municipal armada com 50 servidores. Segurança pública é tudo. Esse projeto tem aprovação unanime da população imbeense”, ressaltou Emerim ao lado do assessor executivo da Prefeitura, Lino Moura.

Pierre classificou a reunião como excelente e irá trabalhar para dar início a toda tramitação de toda a documentação necessária. “A boa notícia é que já nesse verão teremos um posto avançado aqui em Imbé, com caminhão tanque e guarnição em local também estratégico. Imbé, rumo a autonomia institucional em todas as áreas”, concluiu.

O major Claudio Morais garantiu total apoio ao projeto quando frisou ser necessária a instalação do futuro centro já que no verão as ocorrências de Imbé são atendidas pelo Corpo de Bombeiros de Osório e não de Tramandaí: “Isso ocorre devido aos constantes transtornos de congestionamento da ponte Giuseppe Garibaldi. Teríamos ao menos 12 servidores com três escalas para atender a cidade”, disse.

Ronaldo Berwanger

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *