Novas diligências da Polícia Civil na Operação Dellete efetuam o sequestro de bens imóveis no Litoral Norte

Em continuidade à operação Dellete deflagrada no último dia 25 de outubro, pela Defrec de Pelotas, emcombate à lavagem de dinheiro e organização criminosa,a Polícia Civil cumpriu nesta segunda-feira, novas ordens judicias,executandoo sequestro de dois apartamentos localizados no município de Capão da Canoa.

Os imóveis, segundo informações, têm valor de mercado de R$ 550 mil e R$ 750 mil. Com cumprimento dos novos mandados, foram sequestrados até o momento sete imóveis pertencentes ao grupo criminoso, sendo três localizados em Capão da Canoa, e quatro no município de Pelotas.

Em valores, são aproximadamente R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) em imóveis bloqueados por força de ordens judiciais. Além disso, veículos foram apreendidos e valores de contas bancárias bloqueados.

O alvo da operação é um grupo criminosoatuanteno tráfico de drogas eespecializadoem utilizar técnicas para otimizar os valores oriundos do crime.O grupo temcomo base principal, a estrutura de uma família conhecida no meio policial com envolvimento em ações criminosasdiversas, tendo comoliderança,um indivíduo, queestárecolhido na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc), de onde comanda as ações dos comparsas.

Segundo o delegado Rafael Lopes, comprovou-se durante as investigações, que o grupo negociou nos últimos cinco anos diversos imóveis no litoral norte e, inclusive no estado do Paraná. Somente no ano de 2018 foram negociados cinco imóveis em Capão da Canoa, um deles, o sítio que foi alvo da operação do dia 25/10. As investigações e diligências prosseguem, de acordo com o delegado.

Larissa F. Beretta

Foto Polícia Civil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *