MPRS LANÇA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DIGITAL PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, por meio do Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude, Educação, Família e Sucessões (Caoijefam), lançou nesta segunda-feira, 26 de outubro, o Programa MP On, que reúne diversas iniciativas, algumas já em andamento, de educação digital para crianças, adolescentes, pais, responsáveis e educadores. O Programa centraliza em um hotsite, materiais que abordam os riscos e as consequências do uso inadequado da internet, como insônia, vício no uso da rede, ansiedade e outros sintomas decorrentes de exposição motivada por cyberbullying, sexting, sextortion, entre outros; acesso a conteúdos inapropriados, como pornografia infantil; compartilhamento de imagens íntimas; e as possíveis formas de apoio mútuo e prevenção.

Na live de lançamento, o procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, destacou a relevância de lançar um programa como o MP On, que consiste em uma série de ações para promover educação digital, especialmente no ano em que o uso da internet foi extremamente potencializado, com o ambiente virtual dominando a esfera particular, profissional e as relações sociais. “Mais do que nunca é importante disseminar ferramentas e boas práticas de educação às famílias e aos educadores, integrando todos os profissionais imbuídos de proteger a criança e o adolescente, para que possamos diminuir os riscos que a realidade digital, muitas vezes, nos coloca”, ressaltou.

A coordenadora do Caoijefam, promotora de Justiça Denise Casanova Villela, no evento que contou também com participação do subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais, Marcelo Dornelles, enalteceu a internet como fonte de informação e entretenimento, mas alertou sobre os problemas que pode representar, especialmente para crianças e adolescentes. “Preocupado com isto, o Ministério Público, desde 2006, vem desenvolvendo uma série de atividades para proteção dos internautas crianças e adolescentes. O MP On, que reúne todas essas ações e outras que estão em elaboração, é mais um instrumento para que a sociedade possa trabalhar as questões relacionadas a esse tema, com a participação de outras instituições da sociedade civil”, explicou.

Segundo a promotora, o Programa é um manancial de informações contidas em peças disponibilizadas no hotsite, que podem ser utilizadas por todos os setores da rede de proteção para instruir crianças e adolescentes, pais, responsáveis, professores e monitores, não só das escolas, mas de todas as instituições que trabalham com a infância e a juventude.

Além da equipe do Caoijefam, o Programa contou com o planejamento e a execução do Serviço Biomédico do MP, representado na live pela psicóloga Ana Paula Schmidt Lourenço, e pelo Gabinete de Comunicação, sob a coordenação de Samantha Hoffmeister Nassif.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *