Comando Ambiental da Brigada Militar, juntamente com o IBAMA e Polícia Federal, desencadearam na madrugada de hoje a OPERAÇÃO MAR PROFUNDO

Na madrugada do dia 01 de agosto de 2020, por volta da 01h, após um período de aproximadamente dois meses de diligências, foi desencadeada pelo Comando Ambiental da Brigada Militar, IBAMA e Polícia Federal, a “Operação Mar Profundo”, que efetuou a prisão de dois Mestres de duas embarcações distintas, que desenvolviam a atividade de pesca com petrecho proibido de espécie de peixe proibida (tubarão).

Os três órgãos, através de suas agências de inteligência, vinham trocando informações a aproximadamente dois meses, a respeito de duas embarcações pesqueiras que provavelmente estariam realizando pesca de forma irregular.

As informações foram confirmadas quando da abordagem, sendo flagrado pelos agentes fiscalizadores que as embarcações tinham permissão apenas para pesca com rede de emalhe, porém estavam fazendo uso de espinheis (não fizeram uso de suas redes). Também efeturaram a pesca de espécie proibida de pescado e outros que não puderam ser identificados até o presente momento, necessitando de técnicos especializados da FURG.

A totalidade de peixes apreendida ainda não foi totalmente contabilizada, mas até o presente momento, foram mais de 25 toneladas, e, logo após, será destinada (doação) ao Programa Mesa Brasil. Também foram apreendidos os petrechos proibidos.

Diante dos fatos, os mestres foram conduzidos presos em Flagrante Delito e apresentados na Polícia Federal para a confecção do competente Auto de Prisão em Flagrante.

O efetivo encontra-se, deste momento, parte apresentando os presos em Flagrante Delito, parte apoiando os demais órgãos na condução dos trabalhos de contabilização do que será apreendido e fazendo a logística para escoar as dezenas de toneladas de pescado que encontram-se nos porões das embarcações.

Os serviços se estenderão até segunda-feira, devido ao tamanho da carga e espécies apreendidas que não puderam ser identificadas, tendo em vista que foram descaracterizadas pela retirada da cabeça, cola e nadadeira.

Até o presente momento não foi informado pela Delegada Federal qual o valor da fiança que será estipulada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *