Capão da Canoa quer a criação de uma delegacia da mulher para o município

Capão da Canoa, assim como a maioria das cidades brasileiras, apresenta altos índices de violência contra mulher e vulneráveis. É pensando na redução desses índices que a presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Lavina, está com um projeto para a criação de uma delegacia da mulher para o município. A iniciativa já vem sendo pensada há algum tempo, desde que Lavina Dias de Souza foi eleita vereadora. E agora, junto a Polícia Civil está realizando encontros para incentivar e orientar a população dos benefícios do projeto.

“Como professora e tendo participação na política, mulheres que se sentem vulneráveis já me procuravam para buscar orientações da melhor maneira de recorrer perante a agressões e outros casos de violência”, conta Lavina. Mesmo sem existir uma delegacia para mulheres no município, junto a outras parceiras, a presidente da Câmara oferece auxílio a estas mulheres com psicólogos voluntários e assistentes sociais.

“Muitas vezes mulheres deixam de denunciar por medo e a conversa com profissionais faz com que as vítimas façam o correto”, explica Lavina, que também acredita que as vítimas ficam submissas ao sustento familiar, tornando-se dependentes dos agressores. “Com a criação da delegacia poderemos realizar atendimento psicológico até com o próprio agressor”, acrescenta.

Para fortalecer ainda mais o projeto, a Polícia Civil de Capão da Canoa vai realizar na próxima quinta-feira (24), um encontro no Largo do Baronda, para debater assuntos importantes para a sociedade. Na pauta estão oficina de conscientização para o trânsito, roda de conversa com a melhor idade e por último, às 10h30min, palestra e roda de conversa com mulheres. Um dos assuntos a serem abordados é a violência.

Para que o projeto de criação de uma delegacia da mulher em Capão da Canoa entre em execução será preciso contar com repasses do município e fechar permutas para a utilização de terreno para construir o espaço ou locação de algum lugar físico, de acordo com a presidente da Câmara Municipal de Vereadores. “Como mulher, afirmo que este projeto está sendo pensado como necessidade. Quero garantir a segurança para a sociedade, um trabalho que será contínuo nas próximas gestões”, finaliza Lavina. (Marysol Cooper / O Sul)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *