Brasil de Tuhu destaca a importância da música na educação

Notícias Corporativas

Nascido do sonho coletivo de musicalizar o Brasil e tendo como base uma obra didática criada por um dos maiores maestros da história do país – e que também serve de inspiração para o nome do projeto -, o Brasil de Tuhu está há quase 15 anos realizando diversas ações em busca de ampliar e fortalecer a educação musical em escolas da rede pública de ensino em todo o país. O programa já passou por mais de 220 escolas em 40 cidades de 13 estados brasileiros. 

O encontro da violonista e diretora pedagógica do projeto, Carla Rincón, com o Guia Prático do maestro Heitor Villa-Lobos, é o ponto inicial de tudo. “Quando me mudei para o Brasil, pesquisei amplamente sobre Villa-Lobos e me deparei com o Guia Prático”, conta ela, que é venezuelana e formada pelo EI Sistema. “E quando isso aconteceu, mudou completamente a minha vida”. O nome do programa também vem do músico. Tuhu era seu apelido na infância, pois era apaixonado por locomotivas e imitava o som característico que elas emitem.

Tendo viajado pelo país durante a década de 30, Villa-Lobos catalogou, harmonizou e organizou 137 cantigas populares com o objetivo de registrar e utilizar o material para inserir a música como ferramenta de ensino. A obra, além de didática, também é um documento que ajuda a preservar parte da cultura e folclore brasileiros. “Eu fundamento todo meu trabalho no folclore, afinal ele é o contato primário da criança com a cultura”, afirma Carla.

O Brasil de Tuhu é um projeto multiplataforma que já realizou concertos didáticos e disponibilizou recursos e conteúdo para atividades em sala de aula para mais de 45 mil crianças. Entre as várias frentes de atuação também estão um mapeamento nacional pioneiro reunindo um compilado de dados sobre iniciativas com objetivos educacionais semelhantes, e a Vivência Musical – um processo de capacitação gratuita de profissionais por onde já passaram mais de mil professores e educadores.

O projeto conta com uma biblioteca online onde oferece ferramentas e recursos gratuitos como apoio a musicalização infantil. Entre elas, a série de atividades e brincadeiras musicais onde é possível aprender no momento da brincadeira, assim como ensinar. No canal do YouTube do projeto também é possível encontrar o desenho animado “O Brasil de Tuhu”, onde o jovem viajante multi-instrumentista vive as mais diversas aventuras no Brasil a fora, transformando situações cotidianas com sua música.

De acordo com Paula Sued, diretora de produção da Baluarte Cultura, empresa realizadora do projeto, o objetivo é expandir o acesso à educação musical de forma inclusiva no país e aproximar as crianças do universo da música brasileira. “Estamos muito felizes com a oportunidade de ampliarmos o acesso aos nossos conteúdos e ações.”

E não para por aí. O programa disponibiliza acesso gratuito aos seus Guias Didáticos, contendo orientações para a realização de atividades, um gibi e a Revista Tuhu, que traz reportagens, artigos e entrevistas sobre o universo da música e da educação. A iniciativa também já lançou um CD com canções do guia interpretadas por grandes artistas que está disponível nas principais plataformas de streaming e uma rádio com uma série de podcasts onde convidados especiais conversam sobre a história de figuras e movimentos da música brasileira. 

As crianças ainda podem acessar um app chamado Tuhu Musical (disponível gratuitamente para Android e iOS) e aprender sobre música brincando. “É muito caro chegar em todos os cantos do Brasil”, comenta Rincón, sobre o extenso leque de possibilidades que o projeto vem desenvolvendo no decorrer dos anos. “Então, quando a internet permite o acesso a um grande número de pessoas, principalmente as que moram em áreas mais periféricas, precisamos brindar”.

Composto por 12 diferentes ações, O Brasil de Tuhu é uma realização da Baluarte Cultura em parceria com Carla Rincón e é mantido pela Wilson Sons e pelo Governo Federal, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério do Turismo. Patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, com copatrocínio da Schlumberger, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

Para saber mais, basta acessar: https://brasildetuhu.com.br/