Advogado é indiciado por feminicídio em Santa Maria

Nesta quinta-feira (8), a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP) de Santa Maria, remeteu ao Judiciário inquérito policial indiciando por feminicídio qualificado (motivo fútil, asfixia e mediante recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da vítima), bem como por ocultação de cadáver, um advogado, de 29 anos, suspeito de assassinar a namorada em 2016, em Santa Maria. A mulher desapareceu em 13 de agosto e foi localizada morta dois dias depois, no interior do porta-malas do veículo que possuía.

Conforme o delegado Gabriel Gonzales Zanella, titular da DPHPP de Santa Maria, foi o advogado, à época, quem comunicou à Polícia Civil o desaparecimento da vítima. O indiciamento teve por fundamento provas testemunhais (48 pessoas foram ouvidas), análise de diversos dados colhidos durante a investigação e, sobretudo, os resultados de perícias, especialmente as realizadas pela divisão de genética forense do Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul.

De acordo com Zanella, a conclusão do inquérito policial, de 460 páginas, não ocorreu em menor tempo em razão da complexidade da investigação. Por duas ocasiões (dezembro de 2016 e agosto de 2017), a Polícia Civil representou judicialmente pela prisão do indiciado, porém em ambas os pedidos foram indeferidos. O homem negou qualquer participação nos crimes pelos quais foi indiciado. Novamente, a Polícia Civil solicitou a prisão preventiva dele.

 

_

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *