Prefeitura de Imbé adota ponto biométrico para todos os servidores

Pela primeira vez em quase 30 anos de história, Imbé terá todos os servidores municipais registrando a efetividade através da identificação biométrica. A ideia, surgida ainda nas primeiras semanas de janeiro de 2013, está próxima de ser finalmente concluída.

Nesta semana os trabalhos de instalação dos equipamentos e cadastro das impressões digitais dos servidores da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC) estão sendo concluídos nas escolas municipais de Ensino Fundamental e de Educação Infantil, além dos Centros de Apoio Pedagógico da Educação Básica (CAPEBs) e do Centro Referencial de Atendimento ao Educando (CRAE). Com isto, a Prefeitura terá 100% do funcionalismo registrando biometricamente a efetividade para fins de comprovação de assiduidade.

A titular da SMEC, Joselaine Cardoso, explica que a mudança do controle de frequência junto aos professores é uma medida que dá segurança a pais e responsáveis dos alunos da rede municipal. “Comemoramos esta novidade porque, a partir de agora, os professores terão como comprovar a presença na escola, cumprindo sua carga horária e evitando qualquer tipo de dúvida em relação ao comparecimento destes profissionais em sala de aula”, analisa a responsável pela pasta.

Conforme lembra Pierre, a ideia surgiu a partir um grupo de trabalho que discutiu a necessidade de dar esta transparência à população. Foi iniciado, então, o processo de compra e distribuição dos relógios-ponto nas repartições municipais. Ao longo do tempo, os principais prédios públicos receberam os equipamentos dotados de leitor biométrico que identifica o servidor e registra a data e o horário exato de entrada e saída em cada um dos turnos de trabalho, abolindo de vez a prática de anotação manual destes dados em folhas de papel e evitando qualquer tipo de fraude.

Para o prefeito Pierre Emerim, ter a totalidade do funcionalismo registrando a jornada de trabalho ajuda o Executivo no controle da frequência funcional e até permite esclarecer eventuais denúncias. “Muitas pessoas registram por meio da Ouvidoria Municipal algumas queixas relacionadas a servidores que não cumprem horário, chegam atrasados ou até mesmo não comparecem ao trabalho. A identificação biométrica, além de dificultar esta prática, ainda nos permite controlar os horários de entrada e saída de cada funcionário, garantindo tanto ao município quanto ao servidor a certeza de que o trabalhador receberá seu salário mediante comprovação eletrônica das horas trabalhadas no mês”, esclarece o prefeito.

A obrigatoriedade de registro de efetividade através de identificação biométrica já existe em todas as secretarias da Administração Municipal. Antes da SMEC, a última a concluir este processo foi a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), que passou a exigir dos médicos concursados o registro de entrada e saída através dos dispositivos biométricos instalados no Posto de Saúde 24 Horas e nas demais unidades de saúde.

Para o enfermeiro Tierres da Rosa, titular da pasta, é uma forma de controlar a efetividade dos profissionais e ampliar a qualidade do atendimento à população. “Mantemos um contato frequente com nossos médicos e reforçamos o pedido para que não haja atrasos, faltas ou outros problemas. O registro biométrico, além de transparência, traz segurança ao cidadão que procura o atendimento de saúde. O profissional que não comparece ao seu compromisso será devidamente descontado, afinal naquele momento algum morador ou veranista pode ter tido seu atendimento prejudicado em função deste problema”, afirma Tierres.


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *